Mercados de lácteos globais estão oscilando em níveis não vistos desde 2014

dez 14, 2021

5 dicas sobre gestão financeira de fazendas

Os mercados de lácteos globais estão oscilando em níveis não vistos desde 2014. O clima desfavorável comprometeu muito o pico de produção da Oceania e a redução das margens nos EUA e na Europa paralisou o crescimento da produção, resultando em um déficit muito grande com relação ao ano anterior, que não pode ser compensado nem pelo aumento de produção na América do Sul.

Como resultado, a produção de leite do quarto trimestre de 2021 nas 7 grandes regiões exportadoras deve cair 0,3% em comparação com o ano passado. Esta é a primeira redução trimestral na comparação anual, desde 2019.

Os preços do leite ao produtor acompanharam a alta dos preços das commodities na maior parte do mundo, com maior potencial de alta em algumas regiões. Ainda assim, o aumento dos custos dos insumos, a falta de mão de obra, o clima desfavorável e a qualidade questionável dos alimentos limitarão a resposta de produção.

As exportações de lácteos diminuíram em resposta a interrupções logísticas, aumento dos custos de transporte e preços elevados de commodities. O volume das exportações globais de lácteos aumentou 6% em relação ao ano anterior durante o primeiro semestre de 2021, mas caiu para 2% no terceiro trimestre.

Uma desaceleração na demanda de importação da China é esperada e necessária para esfriar os preços, em face dos aumentos limitados do lado da oferta. Os compradores chineses estão divididos entre a alta fora da China e os fracos fundamentos dentro do país para decidir se, quando e em que níveis de preço eles devem retornar ao mercado.

Apesar das crescentes pressões inflacionárias, os consumidores ainda não enfrentaram o choque do aumento de produtos lácteos na maioria dos países, sustentando a demanda. Esse não será o caso em 2022, uma vez que os preços mais altos das commodities a partir do segundo semestre 2021 serão repassados aos consumidores.

Novas variantes do Covid-19, inflação, mão de obra e desafios logísticos, juntamente com outros fatores, pesam sobre a recuperação econômica global, com o potencial dos mercados globais de lácteos vacilarem.

 

 

Brasil

Margens comprimidas em toda a cadeia de valor no segundo semestre 2021

Os preços dos grãos permanecem elevados no Brasil, devido à depreciação do câmbio, e os preços de paridade de exportação mantêm os custos da ração altos para os produtores de leite. Os preços do leite na fazenda estão sendo mantidos em níveis mais elevados, mas os custos crescentes reduziram bastante a lucratividade dos produtores na segunda metade de 2021.

Enquanto isso, os processadores também sentiram os impactos dos preços ao produtor e do enfraquecimento da demanda, devido ao aumento da inflação e alta do desemprego. As margens da indústria deterioraram-se em 2021 e as empresas não conseguiram repassar todos os aumentos de custos.

O quadro macroeconômico está piorando

A economia do Brasil caiu menos do que outras economias emergentes em 2020 (-4,1% do PIB), principalmente devido aos gastos públicos significativos. A economia se recuperou em 2021 com um crescimento estimado do PIB de 4,5%. As taxas de vacinação avançaram rapidamente e agora se aproximam de 63% da população adulta.

No entanto, o Banco Central teve de aumentar drasticamente as taxas de juros de uma taxa básica de apenas 2% no início do ano, para uma projeção de 11% no início de 2022, para combater a inflação. Estima-se que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) atinja 10% ao ano.

Os preços da eletricidade permanecem em níveis recordes devido à forte seca durante a maior parte de 2021, apesar das chuvas terem ficado acima da média em outubro. Os preços dos combustíveis e uma taxa de câmbio fraca também contribuíram para a alta inflação do IPC.


A desaceleração da economia é uma preocupação para as vendas do setor de laticínios

Como a economia termina 2021 em uma nota mais fraca, o desemprego deve permanecer elevado durante a maior parte de 2022. A economia provavelmente crescerá menos de 1% no ano, o que será insuficiente para ajudar os consumidores a recuperar a renda perdida. Além disso, a incerteza em torno das eleições presidenciais de outubro de 2022 já está adicionando volatilidade ao mercado brasileiro e se refletindo em vendas mais fracas de lácteos.

 

 


Um novo programa de transferência de renda poderia ajudar no consumo

O governo está atualmente tentando aprovar uma reforma constitucional para aumentar os gastos públicos em 2022, o que financiaria um programa maior de transferência para famílias de baixa renda. Pagamentos de R$ 400 por mês dariam suporte à demanda por itens alimentícios, como laticínios. Se aprovado, este programa poderia fortalecer a demanda em 2022 e ajudar a compensar parte da renda perdida com a alta inflação deste ano.


As exportações de lácteos podem aumentar marginalmente com o câmbio fraco e um mercado internacional mais firme.

Os exportadores brasileiros tentarão encontrar algumas oportunidades para exportar nos atuais níveis de câmbio e preços internacionais, especialmente se os preços do leite ao produtor enfraquecerem com o aumento da oferta com a chegada do verão no hemisfério sul.

Enquanto isso, as importações devem apresentar desempenho inferior, com competitividade limitada no mercado interno. No entanto, a condição de uma década em que o Brasil é um importador líquido de laticínios não deve mudar em 2022.

 

As informações são do Rabobank, traduzidas e adaptadas pela equipe MilkPoint

Cadastre na nossa newsletter e receba nossas novidades!

Integração
Captcha obrigatório

Últimas Notícias

Os assuntos mais relevantes do momento sobre gestão, inovação, tecnologia e agronegócio.

Mercado de Leite e Derivados – Junho 2022

Mercado de Leite e Derivados – Junho 2022

O preço do leite ao produtor registrou novo aumento no pagamento de maio, em função ainda de menor oferta de leite. O preço médio nacional pago ao produtor foi de R$ 2,54 por litro.Houve importante melhora na relação de troca leite/mistura. Foram necessários 42,6...